Fábrica Social inaugura sede no Jardim Botânico em solenidade simbólica

Agora é lei. Denúncia de violência doméstica é obrigatória para condomínios
Abril 28, 2020
Jardim Botânico em obras – Confira as mudanças no bairro
Maio 22, 2020

Fábrica Social inaugura sede no Jardim Botânico em solenidade simbólica

A Fábrica Social do Jardim Botânico, que tem a participação dos refugiados do Projeto Social SOS Venezuelanos, do MCJB, inaugurou oficialmente seu espaço de funcionamento para a produção de máscaras faciais laváveis e dentro das recomendações da ANVISA. 

Vanessa Barbosa, da Associação dos Amigos do Jardins Mangueiral (AAJM), sintetizou a importância do projeto, que agora ganha um lar: “[ele] tem o olhar para os dois lados da solidariedade, dos que ajudam e dos que precisam ser ajudados”. Serão 35 mil máscaras para distribuição em áreas carentes do DF, encomenda do GDF. Da ONU, outras 3 mil máscaras serão repassadas ao governo do DF, para moradores de rua. 

Casa Nova e Solidariedade

O salão de eventos do Centro de Práticas Sustentáveis (CPS),  do Instituto Brasília Ambiental (IBRAM), localizado no Jardins Mangueiral, agora é sede da Fábrica Social do Jardim Botânico. O espaço foi cedido nesta quinta-feira (07/05), por 90 dias, pelo IBRAM, um dos parceiros da ação social. 

Outros parceiros são as Administrações Regionais do Jardim Botânico e de São Sebastião, Instituto Euvaldo Lodi (IEL), FIBRA, UNFPA (United Nations Population Fund), em português Fundo de População da ONU, Associação dos Amigos do Jardins Mangueiral, Secretaria de Cidades, dentre outros. 

A solenidade simbólica, transmitida ao vivo pela fan page do Movimento Comunitáriocontou com a participação virtual dos parceiros deste projeto social, que gerou renda para dezenas de famílias que, agora, retribuem, nestes tempos de pandemia,  com a fabricação de máscaras de proteção facial e, assim,  ajudam a população que os acolheu na prevenção do coronavírus. 

Segundo o Administrador Regional do Jardim Botânico, João Carlos Lóssio, o projeto mostra a grandeza da união comunitária, ao reunir o Movimento Comunitário do Jardim Botânico, igrejas e Governo para ‘abraçar’ os refugiados Venezuelanos e Cubanos que chegaram à região. “É nesse momento de pandemia que vemos o maior exemplo de humanidade no Jardim Botânico. Montar uma Fábrica Social, que começou tão humildemente e,  agora,  Deus nos deu esse espaço maravilhoso do Ibram, que nos emprestou este local com apoio também da Secretaria de Cidades”. 

Em participação virtual o Presidente do Ibram, Cláudio Trinchão, e o educador ambiental, Marcos Paredes, enviaram vídeos elogiando a iniciativa do projeto. “Neste momento de afastamento social, gostaria de trazer minha satisfação e alegria com a abertura oficial da planta da Fábrica Social (…) Contem com o Brasília Ambiental para este tipo de iniciativa sustentável e de inserção social, pois ajuda centenas de famílias e no combate contra esta pandemia”, afirma Trinchão. 

Representando o Ibram, Webert Oliveira Ferreira agradeceu em nome do Instituto pela proposta e ajuda nesta guerra pela vida e destacou  a satisfação com a escolha do Centro de Práticas Sustentáveis. Em vídeo,  Marcos Paredes, chefe da unidade de educação ambiental do Ibram, afirma que é uma alegria ver o CPS ser utilizado com uma finalidade tão nobre. “Receber um projeto com essa finalidade e nesse momento traz pra gente uma nobreza e riqueza de ações que nos deixa orgulhosos. Gostaria de agradecer a todas as pessoas envolvidas neste projeto”.

Representando os síndicos do Jardins Mangueiral e também o Movimento Comunitário, Camila Costa agradeceu a todos que apoiam o projeto. “A Fábrica Social vem atender duas grandes necessidades: a das pessoas que sofreram impacto econômico diante do atual cenário vivido e a segunda, das pessoas que precisam de acesso às máscaras a preço mais acessível. Gostaria de agradecer em nome de todos os síndicos, por sermos privilegiados com este espaço para darmos continuidade a este projeto tão especial”. 

Para Alan Valim, Administrador regional de São Sebastião, é muito orgulho ver o envolvimento dos trabalhadores da região neste projeto. Elogiou a parceria firmada com João Carlos Lóssio, Administrador regional do Jardim Botânico. “(…) As regiões administrativas possuem divisões geográficas, mas nós somos um Governo só, trabalhando em conjunto para melhorar a qualidade de vida de todos”.  

A Associação dos Amigos do Jardins Mangueiral (AAJM), um dos mantenedores do projeto que patrocinaram o maquinário da Fábrica, enviou um vídeo da Presidente do Conselho Deliberativo, Vanessa Barbosa. “Em nome da AAJM, venho agradecer e elogiar o projeto, que olha para os dois lados da solidariedade, o de quem ajuda e o de quem pode ser ajudado”. 

Por vídeo, Astrid Bant,  representante do Fundo de População da ON e moradora do Jardim Botânico, celebrou a participação nesta iniciativa. “Desejo que a Fábrica Social do JB tenha muito sucesso! Obrigada.”

Compre e doe máscaras!

O Movimento Comunitário do Jardim Botânico também vai promover uma grande campanha de doação de máscaras para famílias carentes que estão sendo assistidas pelo projeto Cesta do Bem. A meta é a confecção de 120 mil máscaras de pano reutilizáveis e duráveis, para que a comunidade fique mais protegida no combate à pandemia (clique aqui e saiba como doar máscaras).

Atenção Costureiros(as) – Trabalhe conosco!

Atualmente 20 pessoas trabalham na Fábrica Social e a meta é aumentar a equipe de trabalho para 60 pessoas em até 10 dias, para atender a demanda. São 2 mil máscaras para empresas patrocinadoras, 3 mil máscaras para a Organização das Nações Unidas (ONU),  que serão doadas ao GDF para atender moradores de rua.  O IEL e a Fibra também irão auxiliar na produção das máscaras que serão doadas pelo Governo. Ao todo, da meta de 120 mil máscaras,  serão produzidas 35 mil máscaras para distribuição em áreas carentes do DF, pelo GDF.  

Mislaine é refugiada venezuelana, beneficiada pelo projeto da Fábrica Social, onde atualmente trabalha como costureira. “Gostaria de agradecer a todos, pois lembro que, quando chegamos com tantas necessidades, fomos acolhidos por todos vocês de forma muito amável. Obrigada pela oportunidade dada a nós venezuelanos de recomeçar uma vida digna”. A Fábrica Social também abre as portas para costureiros(as) brasileiros(as) da região. Para participar, basta procurar a equipe do MCJB diretamente no CPS, de segunda à sexta, das 9h às 16h (só pessoas com máscaras serão recebidas).

Máscaras para todos

Sem deixar a acessibilidade de lado, tanto no viés econômico quanto para atender às pessoas portadoras de necessidades especiais, a Fábrica Social começou a produzir máscaras que possibilitam a visualização dos lábios, sem deixar de protegê-los. Esta atende em especial às pessoas com deficiência auditiva, pois permite a leitura labial.  

 Desinfecção do local!

No dia seguinte à solenidade, a Administração Regional do Jardim Botânico enviou uma equipe para limpar o local utilizado pela Fábrica, a fim de evitar qualquer chance de contaminação. Sem esquecer da dengue, antiga inimiga da região leste de saúde, o Centro de Práticas Sustentáveis recebeu a visita do carro do fumacê, para eliminar os mosquitos que possam estar no local. 

Deixe uma resposta