Jardim Botânico tem o primeiro Ecoponto, instalado no CPS
março 27, 2021
Intervenções no balão de São Sebastião serão mantidas
abril 16, 2021

Inaugurado o primeiro Ecoponto da região!

O Jardim Botânico, que não possui coleta seletiva realizada pelo SLU, ganha um local fixo para descarte correto de materiais recicláveis, como plástico, papel, metal e vidro.  

Com o objetivo de ampliar o alcance da coleta seletiva inclusiva na região, a Ação Oikos, em parceria com a Cooperativa de catadores, Ecolimpo, Administração Regional do Jardim Botânico e a empresa Green Ambiental, inaugurou o primeiro Ecoponto da região, instalado no Centro de Práticas Sustentáveis, no Jardins Mangueiral. 

A ação pode parecer pequena, mas é de grande valor para os profissionais que ganham a vida e sustentam suas famílias com a coleta e venda de materiais recicláveis. “A conscientização das pessoas para que realizem a separação correta dos rejeitos daquilo que pode ser reaproveitado facilita nosso trabalho e garante mais segurança a nossos colegas durante a triagem do material”, explica João Carlos Santana, Presidente da Cooperativa Ecolimpo.

 


O Ecoponto também faz diferença para os moradores, pois o Jardim Botânico, mesmo sendo a 5ª maior região administrativa do DF, é uma das poucas que não conta com a coleta seletiva realizada pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU). E apenas alguns condomínios do JB e Mangueiral possuem contratos diretos com as cooperativas e associações de catadores para a realização da coleta seletiva inclusiva. 

Evellyn Chaves, moradora do Jardim Botânico 3, foi ao Ecoponto com o marido Bruno Oliveira para descartar garrafas e potes de vidros. “No JB3 não temos coleta seletiva de forma organizada, por isso desde que descobri o CPS trago o material reciclável para cá”, relata. 

A notícia ganhou destaque na mídia, sendo veiculada na edição de 05 de abril do Bom Dia DF, confira aqui. Saiba um pouco mais sobre o Ecoponto e os parceiros da Ação Oikos, no vídeo a seguir. 

 

Para o administrador regional do Jardim Botânico, Antônio de Pádua, é necessário apoiar campanhas de conscientização para os cuidados com o meio ambiente. Ele relembra ainda que a comunidade conta também com um ponto de descarte de lixo eletrônico, em frente ao mercado União, no Mangueiral. “Agora com este ponto para materiais recicláveis, avançamos nos projetos para tornar o Jardim Botânico um bairro verde”, afirma Pádua.

Reciclar economiza recursos!

Um dos principais parceiros do MCJB na realização de ações sustentáveis na região, Roberto Bretas, Diretor da empresa Green Ambiental, especializada em coleta e reciclagem de vidro, relata toda a economia gerada com a reciclagem.

A Green Ambiental foi a primeira empresa de Brasília credenciada pelo Instituto Lixo Zero, sendo a precursora também no Centro-Oeste na promoção da reciclagem de vidro com êxito. Hoje encaminhamos 1.200 toneladas de vidro para São Paulo e Rio de Janeiro. O vidro é o único material 100% e infinitamente reciclável. Ao reciclar uma tonelada deste material, você deixa de retirar da natureza 1,2 toneladas de vidro, economiza grandes quantidades de água, energia elétrica e gás. Deixa de enviar à camada atmosférica 300 quilos de gás carbônico (CO2)”, informa Breta.  

Ainda de acordo com Bretas, todo o vidro acumulado durante a semana no Ecoponto passa por um processo de limpeza para a retirada de materiais contaminantes. Após ser quebrado, é enviado para o Rio de Janeiro e São Paulo para ser processado e reciclado, voltando a ser vidro.

 

Deixe uma resposta