Novo administrador promete gestão pela legalidade

Da Redação do MCJB – 26/04/16
Foto: Movimento Comunitário do Jardim Botânico
Novo administrador Alessandro Paiva se reúne com Movimento

Alessandro Paiva, novo administrador interino do Jardim Botânico, em reunião com Movimento Comunitário do Jardim Botânico, promete gestão participativa e pautada na legalidade. Quer agilidade no atendimento às demandas da comunidade, nomeia chefe de gabinete exclusivo para o bairro e afirma que despachará não apenas do Lago Sul, mas também na Administração do Jardim Botânico.



A conversa com o Movimento Comunitário do Jardim Botânico ocorreu ontem,  segunda-feira (25), ocasião em que o novo administrador interino do Jardim Botânico recebeu as boas-vindas da comunidade e, junto, uma lista de demandas e problemas do bairro.



Alessandro Paiva manifestou seu interesse em resolver os principais problemas e prometeu empenho para acelerar processos administrativos paralisados. Afirmou, também, que despachará pelo menos duas vezes por semana diretamente na Administração do Jardim Botânico, afirmando que deseja estar próximo da comunidade e sentir de perto seus problemas.



A lista das demandas comunitárias, aprovada em reunião pública com a comunidade no final de 2015 (relembre aqui), chamou a atenção do novo administrador pelo nível de organização social e comunitária alcançado. Paiva afirmou ter ficado impressionado com a capacidade de mobilização do Movimento e que batalhará junto com a comunidade para acelerar a resolução dessas demandas. “Minha gestão será pautada pela legalidade e pela proximidade com a comunidade. Não medirei esforços na busca de soluções para seus problemas”, completou.



Já a comunidade se impressionou com a nomeação de um chefe de gabinete para o Jardim Botânico, que considerou um sinal de que a administração do bairro está sendo aos poucos recomposta. O administrador interino confirmou o impressão causada, destacando que o governador tem em sua agenda a nomeação de um nome para administrador regional que seja da região, promessa feita em reunião com o Movimento (relembre aqui), mas que isso só será possível quando o GDF sair do impedimento de contratações, em função da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).  



Os cinco principais prioridades do Jardim Botânico



Os diretores do Movimento apresentaram para o administrador interino as cinco principais questões do Jardim Botânico que constam da lista de prioridades, que são:



  1. Falta de titular para a Administração Regional do Jardim Botânico: A comunidade entende que a interinidade do administrador e a dependência do Lago Sul não funcionam.  Centenas de pedidos de alvarás, habite-se, licenças de funcionamento, entre outros processos administrativos, estão parados por falta de pessoal, resultando em diversos problemas aos moradores, tais como impedimentos para construir, vender ou obter financiamento imobiliário. Além disso, o Jardim Botânico sistematicamente fica fora das ações do GDF, por não ter quem o represente administrativamente dentro da estrutura do governo.



  1. Celeridade na regularização dos condomínios: Processos tendem a permanecer paralisados dentro dos órgãos do governo, especialmente no IBRAM. O condomínio fica um longo tempo sem saber o que ocorre com o seu processo e, quando isso acontece, outros projetos caducaram, criando-se um círculo interminável pelo qual a regularização se torna impossível.



  1. Ausência do Estado na comunidade: O Jardim Botânico é a única Região Administrativa sem equipamentos públicos, em todo o DF. Depende completamente de seus vizinhos, pois não tem polícia militar, delegacia, postos de saúde, escolas públicas. Não participa sequer das campanhas de vacinação.



  1. Urgência nas obras e ações de mobilidade: O Jardim Botânico tem urgência na  obtenção de linha de ônibus exclusiva, além de obras que melhorem sua mobilidade, como a construção das passarelas subterrâneas na DF-001, em frente ao comércio do Jardim Botânico; intervenção no estacionamento do comércio;  construção de balões e da rede de captação de águas pluviais, o que permitirá a construção de ciclofaixas e da via alternativa da Estrada do Sol.
  1. Realização de eventos no bairro e apoio às iniciativas locais: O bairro não recebe eventos culturais nem esportivos, sendo obrigado a participar de eventos em outras localidades. Foi apresentado calendário de eventos organizado e promovido pela própria comunidade para o qual foi solicitado apoio do novo administrador interino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: